terça-feira, 25 de junho de 2019

O Hipocondríaco - Terxto de Cléber Lorenzoni



A partir das peças teatrais o Avarento e O Doente Imaginário- A montegam

Cena 1-
Argan- Vamos Toninha,
Toninha- Ah! Já vou!
Argan-Anda cachorra, ou vamos perder a chamada...
Toninha-Ai eu ainda estou dormindo...
Angélica-Ta
mbém pudera, sáo cinco da manhã papai!
Argan- Você sabe como é o Inanps... são só dez fichas...
Toninha- Toda segunda, quarta e sexta! Ahan
Ang;elica- Papai, não é mais inanps, agora é sus, sistema único de saúde,,,
Argan- Ai, saúde? Saúde é tudo o que não tenho...
Angélica-Mas papai, o senhor está doente?
Toninha-Està melhor que nós!
Argan-Cachorra, cachorra, o que tu  estas falando, então não estou doente?
Toninha-Ai meu deus, eu não sou mèdica, eu não sei dizer não senhor, mas eu estou bem doente, por que o senhor grita sem parar...
Argan- E também dou uns petelecos!
Senhorita Flipota-Que gritaria é essa na porta do hospital? Quem são vocês?
Argan-Você não me conhece?
Flipota-Não, nunca ouvi falar...
Argan-De uma nobre  família, avar eza...
Flipota- Avareza...
Argan- Não sua múmia- Avar eza.. Argan avar eza...
Fliupota- pra mim para avareza
Toninha- Não fale assim, meu patrão não tem nada de avareza no sobrenome, embora seja bem miserável
Argan-Cachorra, cale a boca
Angelica-Deixe que eu explico, meu pai não sentiu-se bem a noite, com medo de mal súbito, decidiu vir pegar uma ficha para consultar...
Flipota- A entendo. O senhor nào se sente bem?
Argan- Bem, há, bem, eu me sinto muito mal, me sinto destruído, acabado, destrocado, deprimido, enfraquecido, judiado,
Flipota- Está está bem eu consigo-lhe uma ficha, a ultima. Vamos entrar para a consulta?
Argan-Vocês esperam aqui fora, nào fico tranquilo com gente entrando junto em minha consulta.
 ______
Angelica- O que vai ser de papai...
Toninha-Ora, ele nem está doente de verdade...
Angelica- Ai o que vai ser de papai...
Toninha-Ele está exagerando já falei...
Angelica- Ai meu paizinho querido,,,
Toninha-Menmina, eu já disse que seu pai não tem nada...
Angelica- Taninha, voc^não  está entendendo estou é com medo da reação dele, quando conhecer Cleanto!
Taninha-A la isto é verdade,...
Angélica- Diga-me: não acha que há qualquer coisa que vem do céu, alguma ordem do destino, nessa inesperada aventura de nos conhecermos?
Taninha-Acho que sim...
Angélica- Não acha que o fato de tomar minha defesa, sem me conhecer, é coisa de homem de bem?
Taninha- Acho que sim...
Angélica- E que ele fez tudo isso com a maior bondade do mundo...
Taninha- Acho que acho...
Angélica- E não acha que Cleanto é um a beleza?
Taninha- Acho que voc~e acha!
Angélica- E que ele tem um ar que ninguém mais acha?
Taninha- Acho que você acha que eu acho...
Angélica-Que tudo que ele diz e tudo que faz tem alguma coisa de nobre?
Taninha-Ele acha que voce acha.
Angélica- E que não há nada mais apaixonante do que tudo o que ele diz?
Toninha- Eu acho que ele acha que nos achamos.
Angelica- E que não há nada mais aborrecido do que o constrangimento a que estou presa, que amordaça todo o comercio dos doces impulsos desse amor mutuo que o c’eu nos inspira?
Toninha-Quando você tem razão fala tao bonito!
Angelica- Mas minha querida Toninha, você acha que ele me ama tanto quanto diz?
Toninha-Bem nessas coisas de amor, deve-se ter cautela. As caretas do amor se parecem muito com a verdade. Nessa matéria vejo sempre grandes farsantes.
Angelica- Toninha, você acha que ele não diz a verdade?
Toninha- Ora, vamos ver, e além do mais o fato de ele ter te escrito ontem para pedir sua mao em casamento é o caminho para mostrar se está ou não está mentindo.

____

Dr. Boa morte – Sr. Argan que prazer em vê-lo, que ventos o trazem aqui?
Argan – Furacões, terremotos melhor dizendo...
Dr.BM  – Sente-se mal, o que o sr. Tem? Dores de cabeça?
Argan – nanã
Dr. BM – Dor na coluna então?
Argan – Nada...
Dr. BM – Quem sabe inchaço nos pès? Varizes?
Argan – Não...
Dr. BM – Seria no trato urinário?
Argan – Não...
Dr. BM – Vejamos... intestinos? Estomago, azia?
Argan – Acho que não...
Dr. BM – Respiracão então? Renite, amidalas inflamadas ou uma simples gripe?
Argan – Nada...
Dr. BM – Como nada?
Argan – Nada, não sinto nada, parece que estou vazio por dentro.
Dr. BM – Acho que estou compreendendo.
Argan – Eu logo vi. Viu, um homem na minha idade sem ao menos uma dorzinha de cabeça, devo estar muito mal. Talvez tenha perdido o domínio das sensações.
Dr. BM – Já sei o que o senhor tem!
Flipota – Doutor...
Dr. BM – Quieto Flipota, o assunto é sério!
Argan – Posso estar morrendo, jovem.
Flipota – Mas eu gostaria de dar um parecer.
Dr. BM – Tu aqui não passas de auxiliar.
Argan – Esse é o problema dos jovens, pensam que podem nos ensinar, que sabem mais que os velhos.
Dr. BM – Duas lavagens...
Flipota – mas o senhor nem sequer o examinou.
Dr. BM – Três então.
Argan – Bom, isso aflouxará os interiores...
Flipota – Este paciente não está doente!
Dr. BM – Quatro, e não se fala mais nisso!
Argan – Seria atrevimento lhe pedir dez?
Flipota – Por que não pedimos exames então?
Dr. BM – Não vamos exagerar, que seja uma por dia.
Flipota – Ele deve ser hipocondríaco!
Argan – Estás com inveja das minhas lavagens?!
Dr. BM – Encerramos por hoje, mas antes de sair quero lhe falar de assuntos de caráter pessoal.
(Flipota passa por Angélica e Toninha)
Angélica – E meu pai?
Toninha – Estávamos agoniadas, ele vai sobreviver?
Flipota – Francamente, aquele homem não tem nada!
Toninha – Que lástima, patrão vai ficar muito triste. Ele esperava estar à beira da morte.
Angélica – Pobre papai...
Flipota – Vocês deves estar loucas como aquele homem! Por que medicina? Por que medicina...
(as duas entpram)

Cena II

Frosina – Beraldo, onde está seu patrão?
Beraldo – Foi cuidar do trato.
Frosina – Trato de quem, animais?
Beraldo – Digestivo...
Frosina – Seja mais claro menino!
Beraldo – Olha aqui dona Frosina, eu aqui esvazio penicos, sobre a vida dos patrões só sei dizer quando é líquido, pastoso ou sólido, raramente me atenho a odores...
Frosina – Estúpido, vai chamar sua senhora! (ele sai e ela pega algumas coisas e rouba)
Belinha – (entrando) Frosina...
Frosina – Que radiante estás. Desejo sempre encontra-la com saúde, beleza e jovialidade...
Belinha - A ti tudo em dobro querida, e acrescento aí amor e riqueza.
Frosina – De amores estou farta e de riqueza estou despida.
Belinha – Não me diga... Maus investimentos?
Frosina – Ora, ora. Sou apenas uma pobre viúva, não tive a tua sorte de encontrar viúvo rico.
Belinha – Minha dores são maiores, marido idoso requer atenção, as enteadas também são problemas, a mais criança corre pela casa e me causa estouros de enxaqueca, a mais velha que polêmica, geniosa e nem falemos... adolescência. (as duas reação de nojo)
Frosina – Longe de mim intrometer-me, aliás, teria chá com bolo?
Belinha – Oh que descuido, Beraldo? (ele entra) Sirva a convidada.
Beraldo – Ela não tem mãos?
Frosina – Mas que Petulância. Despeca-o!
Belinha – Não posso, é o preferido de Argan... Traga chá e bolo.
Frosina – Por que não casas tua enteada?
Belinha – Resolveria meu problema. Mas e a pequena? Sempre tão ingrata...
Frosina – Ora, ora... Para este pequeno hiato trancafiamos em um internato.
Belinha – Minhas duas filhinhas tiradas de mim, que ideia maravilhosa! Ah Frosina, só você querida amiga para me trazer um pouco de luz para esta casa entristecida... Restar-me-á depois disso tomar conta de um marido desvalido.
Frosina – E é certo que morre?
Beraldo – (entrando com um penico) Seu chá madame...
Frosina – Mas o que é isso? Seu indecente...
Beraldo – Perdoai-me, é que ou cuido dos penicos ou lido com os bules...
Frosina – Perdi a fome.
Belinha – Então sirva apenas a mim Beraldo.
Beraldo – (servindo) Senhora, se encontrar algo boiando são cravos... (sai)
Frosina – Agora que estamos a sós, asseguraste teu futuro?
Belinha – O que dizes?  Seja clara Frosina.
Frosina – Uma mulher que está prestes a enviuvar pela segunda vez, não que eu esteja apressando a morte de messier Argan...
Belinha – Fale!
Frosina – Não desejando a morte dele, mas si...
Belinha – O quê?
Frosina – Caso ele venha falecer... Não que torcamos por isso...
Belinha – Entendi, o que tem?
Frosina – Então, digamos que ele morra, não que eu queira, mas por ventura...
Belinha – Estou entendendo...
Frosina – Não que ele vá morrer...
Belinha – Se não falares a próxima morta serás tu!
Frosina – Sei que estás nervosa, por isso não levarei a mal, mas me parece que deverias te preocupar em assegurar-se com um testamento.
Belinha – Testamento?
Frosina – Ou vais querer que fique tudo nas mãos de duas pirralhas?
Belinha – Não posso falas disso com meu marido, não seria certo. Pareceria que desejo sua morte... E eu o amo tanto... Mas um testamento me agradaria.
Frosina – Pois bem, em nome de nossa amizade falarei eu com ele, mas não direi nada sobre essa nossa conversa.
Belinha – Ah, como agradecer amizade tão sincera e desprovida de interesse.
Frosina-Veja, la vem seu marido, melhor nos afastarmos ate seus aposentos para bolarmos um plano de como conversarmos com senhor Argan...

Cena III
Argan-Ai ai ai, que dor...
Angelica- Mas senhor meu pai, já sabes que não sofre de doença alguma...
Argan- Onde estão todos os moradores dessa casa, cadeiras, bacia com água para os descansos do velho, meus elixires, vento, lavagens...
Toninha- Depressa Beraldo, hoje o patrão não esta para lerdesas...
Belinha- Como está o senhor meu marido?
Argan-Exatamente como estava hoje pela manha, doente, e fatigado...
Angelica-Doutor Boa morte disse que papai nada tem...
Argan- Um mentiroso, péssimo doutor...
Angelica- Estou tao anciosa Toninha...
Toninha- Por que Menina Angelica?
Angelica- Por que Cleanto disse ter enviado uma carta ao meu pai, pedindo minha mao... Espero que ele venha falar disso o quanto antes...\
Toninha- Acalme-se, logo tudo se revelará e certamente teremos novas e alegres notícias
Angelica- Senhor meu pai, o senhor teria por acaso noticias para me dar?
Argan- Agora que falaste, tenho realmente uma boa noiticia para lhe contar...  Foste pedida em casamento. Que e isto, estas rindo? Te é agradável essa ideia?
Angelica-Devo fazer papai sempre o que te agradar,,,
Argan- Fico satisfeito em ter filha tao obediente, A coisa esta acertada e estás prometida.
Angelica- É meu dever papai, obedecer cegamente a todas as suas vontades.
Argan- Sua madrasta queria que tu fosse uma freira. E também sua irmãzinha Luíza. Sempre teve essa ideia!
Toninha- Boa maneira de ir para o céui
Argan- Eu nao queria consentir com esse casamento mas agora convenci tua madrasta e minha palavra foi dada...
Angelica- Meu pai como lhe agradeço tanta bondade?
Toninha-  (à Argan)Na verdade sempre o julguei sensato, esta é a acão mais ajuizada de toda a sua vida...
Argan- Ainda não vi o candidato mas me garantiram que ficaras contente
Angelica- Com toda a certeza papai...
Argan-Como? Já o viste? Por acaso o conhece?
Angelica-Já que consente posso abrir meu coração. Eu o conheço a seis dias, e o pedido que te fizeram papai é resultado de um recíproco amor a primeira vista.
Argan- Disso eu não sabia, Mas fico muito contente... Não é muito jovem mas bem apessoado.
Angelica- Que é isso papai é bastante jovem!
Argan-Ah o olhar do amor... Ele é muito estudado
Angelica- Que bom, isso me deixa feliz...
Argan-Fala latin e grego!
Angelica- Comigo so falou em português
Argan-Passa o dia todo no hospital.
Angelica- Não sabia? Ë estudante de medicina?
Argan- Professor também
Angelica- De que falais, e o que ensina?
Argan-Hora medicina?
Angelica- Mas como ele disse?
Argan- Sim hoje no hospital me confirmou...
Angelica- Mas o senhor o viu no hospital?
Argan- Pois não consultei então com ele esta manha?
Angelica- Cleanto?
Argan- Que Cleanto? Estamos falando do homem que te pediu em casamento...
Angelica- Sim o jovem Cleanto...
Argan- Estas maluca, falo do doutor BoaMORTE! Meu médico que vai ser seu esposo!
Angelica- Nunca! Meu pai falava de uma pessoa enquanto eu tenho em mente outra...
Toninha- O senhor fez essa grotesca promessa e vai casar a menina com um médico com idade para ser seu avô
Argan- E o que você tem que ver com isso velhaca?
Toninha- Calma lá, vamos conversar sem brigar... Vamos falar com sangue frio, por favor qual a razão desse casamento?
Argan- Minha razão é que vendo-me doente e enfermo, quero ter em minha casa as receitas e os remédios sendo parentes de médicos.
Toninha – O senhor está trocando a sua filha por uma lavagem?! O senhor está doente?
Argan – Como se “estou doente”, eu sou doente! É um médico para mim e uma marido para ela.
Toninha – Quer um conselho de amiga?
Argan – Não!
Toninha – Não pense nesse casamento...
Argan – Eu disse que não quero conselho.
Toninha – Eu dou mesmo assim, estou pensando no senhor.
Argan – Eu não quero que pensem em mim...
Toninha – Quando o amo não pensa a criada pensa por ele.
Argan – Ora faça o que quiser, minha filha vai casar-se com o doutor!
Toninha – Eu a proíbo!
Argan – Eu te proíbo de proibi-la!
Toninha – Conversa fiada, eu o conheço, e o senhor é naturalmente bom.
Argan – Não sou não, sou um homem muito mau.
Toninha – Chega!
Argan – Cale-se!
Toninha – Só me calarei quando o senhor romper esse casamento.
Argan – Angélica venha cá!
Angélica – Por favor papai, assim o senhor acaba doente...
Argan – Faca essa cachorra calar a boca!
Toninha – Se você obedecer tem a minha maldição!
Argan – Não posso mais, acho que vou morrer... (entra Belinha)
Belinha – Que gritaria é essa? Toninha, você fez o meu marido ficar com raiva?
Argan-Me acuda Belinha
Belinha- O que vc tem meu filinho?
Argan- Acabam de me enraivecer...
Belinha – Pobre maridinho
Argan- Foi essa bruxa, Toninha.
Belinha-Mas o que ela fez?
Argan- Fez a ousadia de dizer que n’ao estou doente...
Belinha-Marido, tenha paciência, sabe como e difícil ter uma boa servical hoje em dia. Toninha e fiel, eficiente, de confiança... E vc sabe que hoje em dia com tantas leis e difícil arrumar boas empregadas... Toninha!
Toninha- Senhora...
Belinha- Por que tu deixas meu marido com raiva?
Toninha-Eu senhora, não sei o que a senhora quer dizer...
Argan- Triadora
Toninha- O patrão disse que quer casar a filha, eu apenas disse que era melhor mete-la em um convento...
Belinha- Não vejo nada de mal nisso, acho que ela tem razão.
ASrgan- Voce acredita nela?
Belinha- Escute toninha se vc Aborrece meu marido eu a coloco no olho da rua,,, Venha me ajude aqui a arruma-lo direitinho na cadeira
Argan-A minha querida, como lhe sou grato...
Belinha-Vamos erga a cabeça coloquemos um travesseiro para as costas, outro para apoiar a perna...
Toninha-Outro pra proteger do sereno...
Argan- Bruxa, quer me sufocar...
Belinha- Calma meu maridinho
Argan- Vou precisar de umas dez lavagens para me acalmar...
Belinha-Entao venha querido,,, Vamos para o quarto
Argan- Vc vai aplicar as lavagens,,
Belinha-Com certeza não querido, mas vou ordenar que Toninha faca tudo direitinho


Angelica- Toninha depressa mande chamar Cleanto, preciso avisa-lo que meu pai quer me casar com esse doutor Boa morte...
Toninha- Tudo eu, tudo eu...  Est’a bem, agora trate de se acalmar. Beraldo...
Beraldo- Chamou Toninha?
Toninha- Como eu queria que fosses mais romântico Beraldo...
Beraldo- Chamou minha peninha de avestruz...
Toninha- Quanto romantismo, um verdadeiro poeta...  Escute, precisas correr ate a casa de Cleanto o rapazola que esta de namorico com a menina Angelica... Eis o endereço
Beraldo- Farei o que me pede minha laranjinha mofada...
Toninha-Quanto amor, que doces palavras... V’a V’a – Tudo eu nessa casa... depois não estranhem se for eu a que ficar doente...

Cena IV

Frosina- Entao a menina esta apaixonada por um estudante, e  Belinha precisa de um testamento... Se ela se casar o doutor sera da família, e assim o senhor Argan durar’a anos e anos... E a amiga jamais terá sua herança... Já sei o que fazer...
Argan- Não sabia que tínhamos visita...
Frosina- Não sou bem uma visita senhor argan, sou mais uma amiga da casa,,,
Argan-Belinha esta no quarto, quer que eu a chame?
Frosina- Deixe-a, por que o senhor não me faz companhia.
Argan-Não sei se e boa ideia, estou muito doente, e a senhora pode pegar alguma virose minha...
Frosina- Ora, não diga messie argan... Engracado e exatamente sobre isso que venho vos falar...
Argan-Sobre viroses?
Frosina- Tolinho... Com todo o respeito a sua pessoa, digo-vos que realmente não me pareces com cara boa...
Argan-A senhora percebeu?
Frosina-= Claro, abatido, um tanto pálido, com todo o respito que te ‘e devido...
Argan-E o que digo, teimo em dizer, estou muito doente, mas aqui me dizem o contrario, acho que querem esconder que estou a beira da morte.
Frosina- Coisas de família, o amor, das mulheres de sua casa. Sua esposa jamais aceitaria perde-lo e suas filhas então, tao jovens, com medo da orfandade. Já perderam a mae, não querem aceitar a perda do pai...
Argan- A senhora tem razão.
Frosina- Percebo que o senhor e um visionário, um homem pratico, que encara a doença de frente.
Argan- Totalmente, Enfrento-a com clisteres, lavagens, enemas profundos.
Frosina- Corajoso...
Argan- Todo todos os tipos de comprimidos que me caem em mãos...
Frosina- Um valente.
Argan- Alias tenho aqui drágeas para todo o tipo de mal estar, aceita?
Frosina- Claro, claro, mas vou guarda-las para mais tarde...
Argan- JÁ vos medicaste hoje?
Frosina- Sim varias vezes...
Argan-sabia
Frosina-Entao, já pensaste por acaso, em fazer um testamento?
Argan-Testamento?
Frosina-Veja bem, caso o senhor venha a faltar, quem cuidara da senhora Belinha?
Argan-Belinha?
Frosina- Tudo ficara para suas herdeiras de direito, Dona Belinha não teve com o senhor nenhum herdeiro. Pelas nossas leis, as meninas receberão tudo...
Argan- E verdade...
Frosina-Mas são jovens,,,
Argan-Despreparadas
Frosina- ingênuas
Argan – bobas
Frosina- T^olas
Argan-Burras
Frosina- E de que adiantaria ficarem com fortuna, sem saberem onde usar, como administrar...
Argan- ‘E verdade...
Frosina- Madame Belinha, administra a casa, serve bem a mesa, cuidara bem das garotas...
Argan- Mas as vezes gosta de gastar em lenços, itens de tocador...
Frosina- Necessarios, para uma família tao requintada, não podem sair na rua como mendigos.
Argan E bem da verdade quer que as meninas se vistam sempre com roupas usadas...
Frosina- Claro, para aprenderem a economizar
Argan- Agora que falaste, e verdade, nunca compra roupas novas para as duas.
Frosina-Por que pensa em seu futuro. As meninas andam com humildade
Argan- Maltrapilhas...
Frosina- Mendigas... Para O BEM DELAS...
Argan- esta me convencendo…
Frosina- Nao, estou apenas vos abrindo os olhos...
Argan- Decidido, Chamo o tabelião, deixo tudo para Belinha!
Frosina- E quanto a um certo casamento...
Argan- Nossa, as noticias voam...
Frosina- Bemn verdade, e me peguei pensando, pretende casar vossa filha com o doutor Boa morte, não e mesmo?
Argan-Sim para ter os remédios, e as receitas sempre a mao.
Frosina- Não deve...
Argan- Não devo?
Frosina- Um medico tem uma vida social muito onerosa, sempre vivendo em reuniões, conferencias, cursos, atendendo desvalidos na madrugada...
Argan- Estou entendendo
Frosina- E além do mais, eles não mechem com medicamentos...
Argan-Não?
Frosina- Não, disso nada entendem, por certo,. Muitas vezes nem examinam os pacientes,,,
Argan- Mas então quem?
Frosina- Dominios da empresa farmacêutica...
Argan- Poxa vida, não me dera conta disso...
Frosina- Tambem pudera, tao doente, tao abatido, normal que comece a lhe falhar a memoria
Argan –Achas que posso estar ficando senil?
Frosina- A de se pensar, caduco, o corpo fatigado, enfraquece e a cabeça é a primeira a sofrer com isso
Argan- Vou apressar as lavagens-
Frosina-Não antes de chamar o tabelião. E arrumar um farmacêutico para casar-se com Angelica...
Argan-É o que vou fazer, depois de minhas lavagens...
Frosina – E das drágeas, nãos esqueca as drágeas...
Argan-Depressa Belinha, venha ca...
Belinha-Sim meu maridinho...
Argan-Estavas atrás da porta?
Belinha- Não por que diz isso?
Argan-Apareceste tao depressa mal eu havia gritado...
Belinha- Impressao sua...
Argan-Quero que chame o tabelião...
Belinha- Tabeliao? Para que?
Argan-É uma surpresa, va logo mãezinha...
Belinha-Irei, irei com madame Frosina que esta de saída... a proposito... Ainda agora vi nos fundos da casa um jovem tentando subir na janela do quarto de tua filha Angelica, quando ele me viu saiu correndo...
Argan- Pelos céus, um assaltante?
Belinha-Não me pareceu, parecia conversar com Angelica, de forma muito suspeita. Tua outra filha, Elisa viu tudo, pergunte a ela... Vai te contar com certeza...
Argan – Elisa!!!!

Cena V



Elisa-O que o senhor quer papai?
Argan-Tens algo para me contar?
Elisa-Não que me lembre...
Argan-Alguma historia...
Elisa-Quer que eu conte uma historia da carochinha, ou uma fábula?
Argan-Não é o que quero ouvir...
Elisa-Entáo o que é?
Argan-Espertinha você sabe bem!
Elisa-Desculpe  papai...
Argan- É assim que me obedece?
Elisa-Por que diz isso papai?
Argan-Não lhe disse para me contar tudo o que acontece nessa casa?
Elisa-Sim papai...
Argan-E vc me disse tudo o que viu?
Elisa-Sim papai
Argan-Pois vamos ver...(busca varas)
Elisa- A não papai...
Argan-Sua fingida, não me disse que tinha visto um homem na janela de tua irma!
Elisa-Papaisinho...
Argan-Vou te dar umas lambadas para vc aprender a não mentir
Elisa-Ai papai, ai papai, veja, morri!
Argan-Ai o que eu fiz? Bati em minha filha? Malditas varas, veja o que fiz...
Elisa- A papai, não chora, não estou tao morta assim...
Argan-Espertinha, vou perdoa-la se me contar tudo, e meu dedinho diz que vc esta mentindo!
Elisa-Esta bem papai, mas não conte a Angelica que eu contei!
Argan-Adiante!
Elisa-Um homem entrou no quarto de minha irmã, e eu estava la escondida
Argan- Adiante!
Elisa-Minha irma chegou e gritou saia, saia de meu quarto!
Argan=Adiante!
Elisa-Ele não saiu
Argan-Adiante!
Elisa-Ele disse uma porcao de coisas
Argan-que coisas?
Elisa-Que a amava, e gostava dela e patati patata, patati patata...
Argan-E depois?
Elisa-Depois ajoelhou-se
Argan-E depois?
Elisa-Depois beijou a mao dela...
Argan-E depois?
Elisa-Depois mamãe madrasta apareceu e ele fugiu...
Argan-Meu dedinho diz que tem mais!
Elisa-Só se for quando tia Frosina disse a mamãe madrasta que todo o seu dinheiro devia ficar com ela.
Argan-O que?
Elisa-E mamãe madrasta disse que ia nos colocar em um convento e arrumar logo um novo marido...
Argan-Elas falaram isso? Chega...
Elisa-Seu dedinho disse que tem mais...
Argan-Não, ele não disse não...
Elisa-Disse sim... Mamae madrasta disse que não aguentava mais seu choro, gritaria e reclamação, e que era bom que o senhor pensasse que esta doente, assim não dormiam mais no mesmo quarto e o senhor a deixava em paz...
Argan-Chega! Basta!
Elisa- mas o dedinho...
Argan-Venha comigo, você vai me contar tudo pedacinho por pedacinho...



Cena VI



Cleanto- olá irma, preciso falar com minha irmãzinha, saber como ela está...
Madre-Temos um problema... Achamos que sua irma é muda...
Cleanto-Muda? Mas como? Vim visita-la há alguns dias e falava sem parar... Nunca foi muda
Madre- Tem razão...
Cleanto-Entao o que ela tem?
Madre-Algum problema na goela, não fala mais...
Cleanto-como não fala?  seria algum machuicado na boca? Ela tem se alimentado?
Madre- NA boca de certo não e o problema, devora tudo o que ve pela frente... A ponto de tirar a comida das outras freiras...
Cleanto-Mas então o que ela teria...
Madre- Uma daS FREIRAS ACHa que o gato comeu sua língua...
Cleanto- Como? Mas aqui na escola tem gatos?
Madre- Não...
Cleanto-Mas madre então como o gato comeu a língua de minha irma?
Madre-Não disse que comeu, disse que é o que uma das freiras acha...
Cleanto-posso ver minha irmãzinha?
Madre-Como quiser...
Cleanto-E agora minha irmãzinha doente, o que faremos? Sem dinheiro, sem nossos pais...
Toninha-Senhor Cleanto, Estava lhe procurando... tenho uma mensagem de menina Angelica...
Cleanto-Ela aceita corresponder meu gostar? Aceitará ser minha noiva?
Toninha-Calma lá, lembre-se que só se viram uma vez, no teatro...
Cleanto-Sim visão mais linda naquela noite...
Toninha- E eu que pensei que estavam la para ver uma comédia...
Cleanto-Trata-se de um romance...
Toninha-Isso por que não conhece o pai dela...
Cleanto-Por que diz isso? Ele é engraçado?
Toninha-Pelo contrario, um trágico..., mas enfim, o pai dela quer casa-la com um doutor, um homem idoso que mal para em pé, em todos os sentidos, só sabe falar em medicina, embora não tenha conseguido curar meu patrão...
Cleanto-Senhor Argan está doente...?
Toninha-Para um mal que não tem cura, rabugentisse e avareza...
Cleanto-Mas o que devo fazer?
Toninha- Meu patrão tem adoração por médicos, precisas ir la hoje vestido de médico, assim conquistará a amizade do patrão, e depois que ele ir com sua cara, e concordar com o casamento revela-se tudo...
Cleanto-Mas não entendo de medicina,.. como fingirei?
Toninha- É simples estará na casa outro medico, visitando, basta imita-lo em tudo...
Cleanto- Quero muito casar-me com angélica mas minha irma está muito doente...
Toninha-O que ela tem?
Cleanto- Alí vem ela, já saberá...
Toninha-E vem com um corvo guiando-a...
Cleanto-Irmazinha? O que vc tem? Fala para mim...
Luizinha- (solta apenas sons...)
Toninha-crem deus pai...
Madre-Não deve falar em deus em vao
Toninha-Não falei em deus...
Madre-Tu disseste, crem deus pai
Toninha-Pss madre, não deves falar em deus em vao!
Cleanto-Luizinha minha irma o que vc tem, conta para teu mano!
Luizinha-(solta apenas sons)
Toninha-Desparafuzou?
Madre- A menina náo pode mais ficar nessa escola...
Cleanto-Como não? Por que?
Madre- Não aceitamos meninas que não falam...
Toninha-So por que ela esta estragada vai devolve-la?
Madre-Não podemos ficar com ela... Teimosa e birrenta e agora com essa problema, não fala mais... Leve-a em um medico, se melhorar poderá voltar...
Toninha-Nossa, São freiras de deus ou do coisa ruim?
Cleanto- O que faco com vc minha irmãzinha querida?
Toninha-Deixa ver essa menina, sei lidar com criança, diga algo, e te dou um doce
Luizinha-(Solta sons)
CleantoO que ela tem?
Toninha- Não sei dizer,,,
Cleanto-Vou leva-la a um médico... Temos que descobrir o que tem...
Toninha- E o que digo à menina Angelica?
Cleanto-Diga que estarei la...

__________________

Toninha- Beraldo, esta noite teremos muita correria nessa casa... preciso que vc arrume um casaco branco para um medico e um par de luvas...
Beraldo-Luvas? Que tipo de luvas?
Toninha- Essas de trabalhar com ferramentas...
Beraldo-Por que faria isso?
Toninha- Me amas ou não me amas?
Beraldo - Claro que sim minha pitanguinha murcha...
Toninha-Pare com esses carinhos...
Beraldo-meu limãozinho mofado...
Toninha-Assim eu não aguento...
Beraldo-O que mais precisas?
Toninha-Uma mascara... (a parte) todo médico usa mascara...
Beraldo-Mascara luva e casaco branco? É isso?
Toninha-Corra, va e quando senhor cleanto chegar vista-o!
Beraldo- Primeiro faxineiro de  penicos e agora serei mucamo de garotos...



Cena  VII
Argan- Onde esta o doutor?
Toninha-o senhor está com a cabeça descoberta, pode pegar sereno, o que o deixaria mais doente
Argan- Mas estamos dentro de casa...
Toninha-Nunca se sabe... Eu mesma nunca vi o sereno, então ele pode estar por aqui...
Argan-Fique quieta, la vem o doutor...
Boamorte-Boa noite/; Espero não incomodar, nossa obrigação como médicos é trazer socorro e nunca incomodo...
Argan- Ora, o senhor será da família, nunca traz incomodo.
Toninha-Comecou a bajulação
Cleanto-Boa noite... (entra com casaco de la branco, mascara de Veneza e luvas de borracha de limpeza...
Argan-Quem é esse?
Toninha- Esse é o medico que devia ter vindo ao mundo há muito tempo...
Argan-Mas com essas roupas?
Toninha- Muito bonito, e elegante
Cleanto-Desculpe, estava em , em , em uma festa a fantasia...
Boa morte- Sim, festas da turma do hospital...
Argan-Como?
Boa morte-Para descontrair depois de olhar tantos defuntos...
Toninha-Mas ele é agente funerário?
Argan-Cale a boca Toninha...
Boamorte-As vezes alguns pacientes vem a óbito...
Toninha-Onde fica?
Boa morte-O que?
Toninha- Essa óbito... é uma boate?
Cleanto- O que o doutor quis dizer é que as vezes acontecem algumas infelicidades, e alguns pacientes acabam por partir desse mundo, mesmo contra nossa vontade...
Toninha- que lindo! ! ! falou táo bonito, deve ser em latim isso aí!
Argan-Diga-me, o senhor é de que área?
Cleanto-Area? Área... Área central...
Toninha-Como assim? (para cleanto)
Cleanto-Ué eu moro no centro...
Boa morte- Centro? Entao o dileto amigo deve cuidar dos intestinos... Estao localizados bem no centro do organismo humano...
Cleanto-Exatamente!
Argan –Entende de lavagens?
Cleanto-Só de carros...
Argan-Como?
Boa morte-Diga-me Argan como tem se sentido hoje?
Argan-Penso que estou pior do que antes...
Cleanto-Serio senhor?
Argan-Comi o dia inteiro, me deu muita fome, devo estar com vermes? Ou então alguma doença que me faz devorar tudo o que vejo...
Cleanto-Minha mae sempre dizia que fome é sinal de saúde...
Argan-Saude, algo que não tenho...
Boamorte- Podes estar com problema na área central...
Cleanto-Não pensas em fazer um bom regime? Quem sabe até um jejum?
Argan- O senhor acha?
Cleanto-Bom, toda a doença pede um controle de alimentação... eu acho...
Boa morte-Bem dito... Ficar sem comer...
Cleanto-Nossa ficar sem comer, estou assim há dias, é como se sentisse uma agulha no estomago...
Argan-Acupuntura?
Boa morte-Como?
Cleanto-Bom... eu ... acho que acupuntura, é um tratamento muito interessante...
Argan-Estou gostando muito desse médico.
Flipota-Senhores, esse homem é um impostor!
Cleanto-Eu?
Toninha-Nossa Cleanto, você é azarado mesmo!
Flipota-Não você, ele!
Boa morte-Eu?
Flipota-Sim fiquei muito desconfiada e fui investigar, ele mentiu que tem diploma em Harvard...
Toninha-Onde fica?
Argan-Pelos céus quantas revelações em um só dia...
Flipota, por isso não examinava os pacientes, só olhava e dava receitas...
Toninha-Mas então todos os meus doutores são impostores...
Argan-Cale-se toninha, estou doente...
Flipota-O senhor está muito bem, não tem doença alguma, apenas preocupações, fui investigar todos os seus antigos exames, o senhor tem uma saúde de ferro!
Boa morte-Nunca me pegarão! Vou-me daqui!
Flipota-Não se preocupe a casa esta cercada, qualquer farsante será preso...
Cleanto-Serei preso Toninha-
Toninha-Acho que sim, não é teu dia de sorte...
Cleanto-Eu me entrego, não sou medico, sou apenas estudante de farmácia...
Argan-Já sabia que não era medico senhor cleanto, é o rapaz que esta interessado em minha filha,.... queria ver ate onde o senhor ia com a farsa...
Cleanto-Mas então o senhor esta com raiva de mim...
Argan-Não o senhor foi muito respeitador quando entrou no quarto de Angelica, pelo visto os dois se amam, e esta mesmo estudando, não foi inventar diplomas de outros lugares...
Belinha- Quem mente uma vez, mente sempre...!
Argan-De novo atrás da porta mulher?
Toninha-É onde ela sempre está!
Belinha-Ele é um impostor, sua filha deve ir para um convento, e a pequena também, fiquemos nós os adultos com a obrigação de cuidar dos bens até que os jovens tenham maturidade...
Argan-Com meus bens?
Toninha-Prevejo revelações...
Argan-Sua amiga Frosina queria me convencer a colocar-te como minha herdeira, prejudicando minhas filhas, por que nunca gostou delas... casou-se por interesse.
Angelica –(entrando com elisa)O que esta acontecendo papai? Cleanto?
Belinha-Ora nunca gostei de vc. Um velho com suas lavagens, pensei que morreria mais cedo me deixando em paz... e ia me livrar dessas duas choronas...
Argan-Fora daqui sua bruaca...
Belinha-vou mesmo,
Toninha-Calma patrão, pelo menos tudo isso aconteceu antes de mudar o testamento!
Madame Mili- Essa é a casa do senhor Argan?
Toninha-Já nem sei mais...
Argan-Eu mesmo, Argan Avar Eza...
Madame Mili- que maravilha, me chamo madame mili e estou aqui a procura de meu filho...
Argan-Vc não parece com minha mamãe...
Madame Mili – ali, ali esta ele, meu precioso menino...
Cleanto- Mamae? Mas eu sou orfao...
Madame Mili- Não, não é, há muito tempo atrás eu era uma pobre menina tola, tive dois filhos, mas o pai deles me abandonou, não tive a quem recorrer, então deixei Cleanto em um orfanato para que as freiras o criassem.
Cleanto-Mas eu tenho irma!
Beraldo-Serve essa?
Toninha-Meu Bebê, vc é o herói dessa historia?
Beraldo-Não apenas abri a porta
Luzinha-Mano?
Cleanto-Voce recuperou a voz?
Luzinha-Eu fingia que não falava, pois queria sair do convento e ir ficar ao teu lado...
Toninha-Ta todo mundo finge.. que fingissao...
Madame Mili, agora poderemos viver juntos nos três, em minha mansão...
Cleanto- E eu poderei namorar com sua filha senhor Argan e casar-me com ela?
Argan-Claro, que historia linda, mas, mas e minha doença?
Cleanto-Acalme-se senhor Argan, logo serei farmacêutico e poderei cuidar do senhor e ate receitar algumas medicações...
Argan-Tudo bem, tenho que parar de tomar tanto remédio e me preocupar em observar bem a minha família, nossa, já que agora vamos juntar-nos em uma única família...
Toninha-A proposito como a senhora se chama mesmo?
Madame Mili- Madame Mili Onária



































Nenhum comentário:

Postar um comentário