domingo, 3 de setembro de 2017

Cena da Festa

Merceditas:    Que doce encanto traz à minha lembrança Mercedita
Minha flor e a mais bonita, que uma vez tanto amei
Há conheci no campo, há muito tempo, numa tarde
Onde crescem os trigais, província de Santa Fé

REFRÃO:
(e assim nasceu)
Nosso querer
(com ilusão)
Com muita fé
(mas eu não sei)
Porque a flor foi murchando até morrer
(e abandonei)
Um louco amor
(assim cheguei)
A compreender 
(o que é querer)
O que é sofrer por ter lhe dado o coração

                        Cena festa          (Douglas e Wesley, decorar tropeiro)

O tropeiro da uma flor para a rapariga por nos cabelos
Lavína: Quando partes meu tropeiro?
Tropeiro: Sabes que parto hoje!
Lavínia: E quando voltas?
Tropeiro: Ainda não sei, na verdade tu sabes, nem sei se consigo voltar!
Lavínia: Voltas sim! Bebe!
(ele titubeia)
Jovina: Pel'amor de Deus!!  (falando baixo)
Antonia: Parem a festa
Luisa: Uma desgraça
Jovina: O Estancieiro morreu de ataque fulminante e a filha desapareceu na mata, precisamos da ajuda de todos para procurar!
(Saem todos, menos Lívia que fica sentindo as dores do parto  é amparada por Maria, Jovina e Leonora. Entra o Coronel olha para a filha e pega o bebê de seus braços).
Coronel: Essa criança não tem que viver!
Lívia: Não meu pai!!!! (gritos)
(Entram as lavadeiras abrem grandes panos azuis
 representando a lagoa e o coronel atira o bebe entre eles, todos saem).

Dia 19 de setembro, tem A Maldição do Vale Negro no Colégio STS, fique atento!