terça-feira, 30 de junho de 2009

Interpretes substitutos em Esconderijos do Tempo


Alessandra Souza




















Renato Casagrande Roberta Correa

Antígona 2000/2001


Ficha Técnica


TEXTO- Sófocles

DIREÇÃO- Cléber Lorenzoni

ELENCO-Dulce Jorge(antigona), Cléber Lorenzoni(creonte), Ariane Pedroti(corifeu), Marcele Franco(ismene), Alexandre Dill(hêmon), Simone De Dordi(euridice,tirésias), Leonardo(polinices).

TRILHA SONORA-Fernanda Garrido

ILUMINAÇÃO- Úrsula Macke

CENÁRIO- Cléber Lorenzoni

MAQUIAGEM- Cléber Lorenzoni

FIGURINOS- Dulce Joge


Sinopse


Numa das mais belas e dramáticas tragédias já escritas, Sófocles devassa em toda a sua profundidade o amor, a lealdade, a dignidade. A historia conta a historia de Antígona, que deseja enterrar enterrar seu irmão Polinice, que atentou contra a cidade de Tebas, mas o tirano da cidade,Creonte, promulgou uma lei impedindo que os mortos que atentaram contra a lei da cidade fossem enterrados, o que era uma grande ofensa para o morto e sua família, pois a alma do morto não faria a transição adequada ao mundo dos mortos. Antígona, enfurecida, vai então sozinha contra a lei de uma cidade e enterra o irmão, desafiando todas as leis da cidade, Antígona é então capturada e levada até Creonte, que sentencia Antígona a morte, não adiantando nem os apelos de Hemon, filho de Creonte e noivo de Antígona, que clama ao pai pelo bom senso e pela vida de Antígona, pois ela apenas queria dar um enterro justo ao irmão.Hemon briga com Creonte e então Antígona é levada a morte, uma tumba aonde Antígona ficará até morrer. Aparece então Tirésias, o adivinho, que avisa a Creonte que sua sorte está acabando, pois o orgulho em não enterrar Polinice acabará destruindo seu governo. Antes de poder fazer algo, Creonte descobre que Hemon, seu filho, se matou, desgostoso com a pena de morte de Antígona.Aparece Eurídice e conta que, ao abrir a tumba onde Antígona estava presa, encontram-na enforcada e Hemon a seus Creonte se aproxima e então Hemon se mata, após tentar acertar o pai.Eurídice, desiludida pela morte do filho também se mata, para desespero de Creonte, que ao ver toda sua família morta se lamenta por todos os seus atos, mas principalmente pelo ato de não ter atendido o desígnio dos deuses, o que lhe custou a vida de todos aqueles que lhe eram queridos.