terça-feira, 19 de março de 2019

Renato Casa Grande com aluno da escolinha Arco Iris


Cena curta de Bodas de Sangue


BODAS DE SANGUE – García Lorca
                                                                      Trecho do primeiro ato


LEONARDO — E o menino?
MULHER — Adormeceu
LEONARDO— Ontem não passou bem. Chorou, de noite.
MULHER (alegre)— Hoje está que parece uma dália. E tu? Fostes à casa do ferreiro?
LEONARDO— Estou vindo de lá. Parece incrível! Faz mais de dois meses que fico pondo ferraduras novas no cavalo, e elas sempre lhes caem...
MULHER— Não será porque tu abusas?
LEONARDO— Não. Quase não o utilizo.
MULHER— Ontem as vizinhas me contaram que tu estavas na divisa dos campos.
LEONARDO— Quem disse?
MULHER— As mulheres que colhem alcaparras. Eu estranhei, é claro. Eras tu?
LEONARDO— Não. Que faria eu naquele deserto?
MULHER— Foi o que eu disse. Mas o cavalo estava se desfazendo em suor.
LEONARDO— tu estavas me espiando?
MULHER— Eu, não; minha mãe. Quer uma limonada?
LEONARDO— Com água bem fresca...
MULHER— Estou precisando de um vestido, e o menino de um gorro com laços.
MULHER— Cuidado Leonardo, ele recém adormecido.
SOGRA – Não devias te por em carreiras.  O cavalo está la embaixo, parece que vai morrer de cansaço, com os olhos esbugalhados, como se tivesse chegado do fim do mundo.
LEONARDO (áspero)— o cavalo é meu, faço com ele o que bem entender
SOGRA— Então desculpe; é seu, mesmo.
MULHER (tímida)— Estava com os medidores do trigo minha mãe.
SOGRA— Para mim, tanto faz. Que arrebente!
MULHER— A limonada. Está fresca?
MULHER— Sabes que vão pedir minha prima?
LEONARDO— Quando?
MULHER— Amanhã. As bodas serão daqui a um mês. Espero que nos venham convidar LEONARDO (sério)— Não sei. Aquela gente nunca gostou de mim...
SOGRA— A mãe dele não estava lá muito satisfeita com o casamento.
LEONARDO— A velha tem razão, aquela guria é danada, com fogo nas ventas...
MULHER— Não gosto que tu fales assim de uma boa rapariga.
SOGRA— Mas se ele diz isso é porque sabe. Esqueceu que ela foi sua noiva por três anos?
LEONARDO— Mas deixei-a. E tu não tens nada que falar disso, que me esqueço que vives de favor e te ponho no olho da rua... E tu, para de chorar...
Mulher-Eu não estou chorando
Leonardo- Tu choras o tempo todo.
Mulher- Leonardo
Sogra- Deixa