sábado, 27 de maio de 2017

Encenação I - ESMATE - O SEGREDO DE MADAME

O Segredo da Madame
(rua perto do shopping)
Uma mendiga e sua filha estão sentadas na calçada,
quando uma Perua e sua filha aparecem...

Carmem – Vamos Letícia, ainda tenho que passar no Salão
para retocar o esmalte...
Letícia – Mas mãe, eu estou com fome.
Carmem – Fome? Mas você acabou de comer duas,
 DUAS folhas de alface no restaurante do Shopping!
Letícia – Por isso mesmo, estou com muita fome...
(a mãe mendiga pede para sua filha ir lá pedir esmolas)
Mendiguinha – Tia dá um troquinho?
Carmem – Ah! O que é isso? Uma Macaca?!
Chama o Ibama!!! (Empurra sua filha em direção a mendiguinha)
Mendiguinha – Dá um troquinho....
(entra ao fundo do palco uma segunda mendiga com
um saco de lixo, ela e a mendiga 1 começam a mexer no saco)
Carmem – (para Letícia) O que ela quer?
Letícia – (amedrontada) Acho que quer um troquinho...
Carmem – Troquinho? Ah é um assalto?! Socorro Polícia!!!
Mendiga 1 – Comida! (a mendiguinha corre para as suas)
Letícia – Comida?? (segue a mendiguinha)
Carmem – Polícia!! Estão sequestrando minha filha!
Mendiga 1 – (para Letícia) Quer comida fofinha?
Mendiga 2 – É, pode pegar!! Tem pra todo mundo,
 acabei de pegar na lixeira dessa lanchonete...
Letícia – Mas parece tão suja, tão nojenta...
Mendiguinha – Não seja boba, está muito gostosa.
Carmem – Polícia!!
(entra um policial)
Policial – Sim, Madame, em que posso ajudar?
Carmem – Senhor, uma macaca filhote tentou
 me roubar e agora sequestrou minha filha!
Policial – Uma macaca? Nossa, será que fugiu
do Zoológico? Isso é muito perigoso.. E o que?
Sequestrou uma criança.. Em que mundo estamos...
Para onde esta macaca foi?
Carmem – Está ali. Revirando aquele lixo...
Policial – Não vejo nenhuma macaca senhora,
são mendigas, estão sempre aqui por perto.
Carmem – Pois que sejam mendigas ou macacas,
elas cometeram um crime...
Sequestraram minha bonequinha. (chora exageradamente)
Policial – Por acaso sua filha é aquele menina
 que está atracada em um sandubão?
Carmem – Oh Meu Deus! Estão envenenado
 minha filha, faça alguma coisa!
Policial – Olha minha senhora, não vejo crime
algum, estas mulheres são pessoas de bem...
mas se a senhora insiste eu irei até lá.
 (policial se aproxima) Está tudo bem por aqui?
Letícia – Sim seu guarda.
Mendiga 2 – Olá policial, quer um sandubinha?
Policial – Vou aceitar sim... (cochicham alguns assuntos,
riem um pouco e o policial volta para Carmem)
Olha minha senhora, sua filha me disse que
 está comendo e logo irá para casa. (sai)
Carmem – É o fim do mundo... (se aproxima das
mendigas, estas comem como se fosse acabar o mundo)
Mendiga 1 – (Apavorada) Carmem? O que você
faz aqui? (para mendiguinha) Ela nos descobriu,
e agora? Estamos arruinadas...
Carmem – Do que estão falando? Como você
me conhece? Espera aí você é familiar... (pausa)
 Ai meu Deus, eu conheço uma mendiga!!
Mendiga 1 – Que mendiga o que, sou eu: Magda.
Carmem – Impossível, Magda é uma das
mulheres mais ricas deste país! (tom)
Ai meu Deus, Você perdeu tudo?
Mendiga 1 – Shiiiu. Eu não perdi nada sua louca.
Como você acha que eu ganhei rios de dinheiro?
 (pausa) Com a esmola. Sim, eu e minha filha
 sempre viemos para cá, pedimos esmolas e
economizamos comendo lixo da lanchonete.
A primeira semana foi difícil, mas depois eu
 vi que o valor valia a pena.... Agora tripliquei
meu capital pedindo esmolas.
Carmem – (apática) O que?
Letícia – (parando de comer) O que? Quer dizer
 então que você (para mendiguinha) é a Mariana?
Mendiguinha – Sim. Ah, mas não conta para o
sobrinho do duque, pois estamos namorando,
 tudo indica que nos casaremos...
Carmem – Ai meu Deus! (para mendiga 2)
E essa daí quem é? Vai me dizer que ela é a...
Mendiga 1 – Não, não. Essa é mendiga mesmo...
(pausa) Mas agora temos que ir.. Tenho que
tomar um banho de sais para tirar esse cheiro...
 E a Mariana tem aula de francês. (saindo de cena com mendiguinha)
Carmem – Menina, que história maluca. Me
conta mais sobre isso, posso entrar para... (Saindo de cena)
Letícia agarra um pouco de comida e sai
Mendiga 2 – Ué que gente maluca.
(tira uma coroa do lixo, coloca na cabeça. Entra Policial)
 Alfred, enganamos todas direitinho.
Policial – (curva-se para ela como se fosse uma soberana)
Vamos majestade? (ela acena com a cabeça,
ele pega ela pelos braços e saem)

FIM



Por RENATO CASAGRANDE

quarta-feira, 24 de maio de 2017

Exercício Teatral - ESMATE A- ENCENAÇÃO I

Exercício teatral – ESMATE 2017 – criação coletiva de uma cena

Personagens: Perua 1 (Clara)
                       Perua 2 (Maria Eduarda)
                       Mendigo 1 (Alessandro)
                       Mendigo 2 (Cristiano)
                       Mendiga (Raquel)
                       Policial (Pedro Lucas)

Local: Rua de trás de um shopping center, onde ficam os containers de lixo.

(Mendigos sentados próximo aos containers, disputando restos de comida)

MENDIGA – Chegaaa! Essa área aqui é minha! Quem manda aqui sou eu, tá ligado? Deixa que a mamãe aqui distribui a comida direitinho. Só ficar com o bico caladinho pra não vim mais gente ciscá no nosso lixo.
MENDIGO 2 – (cochicha para mendigo 1) – Aí, esse povo riquinho sai do shopping e põe só coisa da boa fora. Ôtro dia comi quase um subiuê inteirinho!
MENDIGO 1 – É hoje que nós tira a barriga da miséria! (bebe um gole de cachaça e cutuca o mendigo 2). É só a gente não irritá a madame ali que ela divide a bóia com a gente.
Mendiga esconde comida, mendigo 2 vê e mostra para mendigo 1.
Mendigo 1 faz sinal para mendigo 2 ficar quieto.
MENDIGO 2 – (exaltado tentando pegar a comida da Mendiga) – Ei, ei...sua trapaceira, eu vi, pode devolver!
Mendiga empurra mendigo 2.
Entram as duas peruas conversando.
PERUA 1 – Ai amiga, tô só por aquela bota preta que te falei!
PERUA 2 – E eu sonhando com aquelas bolsas da nova coleção da Vitor Hugo!
MENDIGO 2 – (mexendo com as peruas) - Aí tia, chega mais, tem um trocado aí?
Peruas reagem enojadas.
PERUA 1 – Não sou tua tia moleque! Vai trabalhar!
MENDIGO 2(irritado) – Vai trabalhá tu sua desocupada!!
Mendigos riem.
Peruas apressam o passo assustadas e saem.
Mendigo 1 e Mendigo 2 ficam rindo das peruas.
MENDIGA – (ameaçando) Aqui seus enxeridos, vieram aqui pela minha comida, então vão ter que colaborar.
MENDIGO 1 – Mas o que que tu vai inventá  agora?
MENDIGO 2 – (nervoso) Colaborá contigo o cassete!  Ou tu divide direito essa comida ou, ou, ou... (se encolhe quando a mendiga o enfrenta)
MENDIGA – Ou o quê? (ri e continua em tom de segredo) – Quando as madame ali voltarem cheia das compra, eu passo a conversa nelas enquanto vocês pegam as sacolas e jogam aqui dentro.
MENDIGO 1 – Pódexá!
MENDIGO 2 – (ainda emburrado) – Tá bem.
MENDIGA – (catando no contêiner) Toma isso pra ti, isso pra ti... (distribuindo as coisas pros mendigos)
Risinhos e barulho de passos.
MENDIGO 2 – Shhh! São elas voltando.
Peruas entram.
PERUA 2 – Amei nossas compras amiga! Temos que vir mais vezes.
PERUA 1 – Mas é claro! Nada como um banho de loja para lavar a alma! (peruas riem)
Mendiga se aproxima das madames, que se sobressaltam.
MENDIGA – Ô belezinha, não tem nada pra mim aqui não? (se aproxima das sacolas e cheira o pescoço da p1, que tenta se afastar) Cheirinho bom de gente rica!
Enquanto isso os mendigos passam correndo, roubam as peruas e escondem as sacolas no meio do lixo.
Perua 2 sai correndo até a beira da coxia, gritando por ajuda e pela polícia.
Perua 1 empurra a mendiga no chão e vai atrás dos mendigos, batendo neles com a bolsa.
O policial chega.
POLICIAL – O que está acontecendo aqui?
Peruas exaltadas tentam explicar.
PERUA 1 – Essa mulher imunda encostou na gente.
PERUA 2 – E aqueles maltrapilhos ali nos roubaram.
Mendiga fica caída no chão, os mendigos colocam-se em posição de vítimas.
POLICIAL analisa a situação - Não vejo nada com esses pobres coitados que pareça pertencer às senhoras. (olha desconfiado para elas)
PERUA 1 – (exaltada) Mas seu guardinha incompetente, olhe bem pra nós e olhe pra essa gente!
PERUA 2 – Anda, prende logo esses imundos! (grita empurrando o guarda na direção dos mendigos)
POLICIAL – (furioso) Pois eu vou é prender vocês! (vai algemando as duas e levando). Por desacato à autoridade, calúnia contra os moradores de rua, agressão física...
Madames ficam desesperadas e imploram para serem soltas, enquanto são levadas.
Mendigos caem na gargalhada e logo começam e se estapear pelas compras.
MENDIGA: Chegaaaa! (congela a cena)


Por Raquel Arigony


terça-feira, 23 de maio de 2017

Cena Esmate B - Encenação 1

Eu quero ser criança

-Cena 1



Crianças brincam na boca de cena... Canção de roda sentados...
Entra pai pela direita do palco e avança sobre as crianças. Elas amedrontam-se.
Weslei -Que tão fazendo aí? Vão já pra rua...
Pituto-A gente ta brincando...
Weslei-Cala a boca, eu vou dormir, não quero barulho nessa casa... Vão arrumar dinheiro pra casa!
Pituto-Vai, vai, corre, antes que ele bata na gente...
Weslei -Onde você pensa que vai?
Laura-Me solta...
Weslei-Vem comigo!

Cena 2-
Kauane entra sorridente e um pouco impaciente tentando falar com seu pai, ele fala ao telefone
Kau – Pai fala comigo
Ricardo-Espera filha...
Kau- Não pai, hoje o senhor tem que brincar comigo...
Ricardo- Eu estou no telefone
Kau-Mas pai você prometeu...
Ricardo – Sim sim, eu vou nessa reunião. Fica quieta Kau o pai está no telefone... Olha sua mãe ali...
Raquel entrando na cena pintando as unhas...
Kau- Mãe, mãe... vem comigo...
Raquel- Menina fica quieta... a mãe está ocupada...
Kau- Mas mãe, eu quero muito,...
Raquel –Minina paaara! Olha o que você fez com meu esmalte. Está de castigo!
Pais se cruzam, dão um beijinho bem robótico e saem de cena; Gabriel entra brincando de carrinho
Gabriel-Que aconteceu Kau
Kau-Ah, ninguém me da atenção nessa casa...
Gabriel-Eu dou...                                                                                                     
Kau-Ah eu sei, mas to falando do papai e da mamãe...
Gabriel- Eles vivem ocupados, também nunca falam comigo...Não olham nem meus cadernos... Mas para de chorar, vamos brincar nós dois?
Gabriel e Kau saem brincando


-Cena 3
Entra Isa (modelo famosa) olhando vitrines
Douglas aparece lendo jornal e para a um canto do palco
Pitutinho – eu quero ir pra casa
Pituto- fica quieto... A gente precisa de dinheiro, senão a gente apanha... Olha la, olha lá.. Vai, vai!
Pitutinho- Tia da um troquinho...
Isa- Ai não tenho dinheiro, vai pra la vai sujinho...
Menino percebe a presença de Douglas.
Pituto-Olha ali... (ambos cochicham)
Menino pequeno se aproxima.
Pitutinho- Tio, tio, tio, olha tio...
Menino maior aproxima-se por traz enquanto estabelece-se uma pequena confusão.
Douglas- Ei, o que é isso, vai pra la guri!
Isa- Um assalto! (modelo sai de cena)
Pituto- Perdeu plaiboy
Douglas corre para fora de cena atrás de meninos...


Cena 4

Renato entra de dentro da cena falando alto com menina
Renna-Limpa logo essa sala que eu to cansada!
Laura-Mas eu já limpei,
Renna-Limpou nada, menina respondona. Olha esse chão sujo como a sua cara...
Laura-Mas lugar de criança é na escola...
Renna-Você já está adulta, eu na tua idade já era dona de casa...
Entram correndo os Pitutos
-Renna-E vocês, sujando toda a casa
Pitutinho-Desuclpe mãe
Renna-Trouxeram a grana?
Pituto-Sim, mas só conseguimos isso
Renna-Mentiroso, tem mais... malandros. Já lavar aquela roupa juja e vc... trata de passar uma vassoura na cozinha.
Pitutinho-Mãe eu queria brincar
Renna-Cala a boca, já falei...
Weslei-Que gritaria é essa?!
Renna-São os pia...
Weslei-Essa menina tem que limpar meu quarto!
Renna-Já te disse pra deixar minha filha em paz...
Weslei-To educando!
Renna-Tu não é pai dela, deixa que eu educo...
Weslei-E a grana do cigarro?
Renna-Só deu isso, agora vem, vamos la no boteco que eu penduro...
Entram Gabriel e Kau brincando
Kau-Ei venham brincar com a gente
Pitutinhoi-Não posso tenho que limpar a casa.
Kau-Lugar de criança é brincando...
Pitutinho-Ei posso chamar meu irmão também?
Kau-Claro, vamos todos brincar...
Gabriel-E a sua irmã também. Vem!
Laura- -Não psso tenho que limpar...

Kau-Larga isso, teu único trabalho tem que ser o estudo!



Por Cléber Lorenzoni

Cena encenação 1 - Esmate - A joia Perdida

A joia perdida
Cândida – Maria Antônia        Aurora – Luiza         Zélaz – Alessandra       Z éluz – Stalin
Zélão – Felipe       Policial – Laura
Em um lixão tranquilo se encontra Zelaz e zéluz sentados confortavelmente, com uma garrafa de cachaça mexendo com quem passa pela rua.


Zelaz: Ma olha que homi feioso, que que ta oiando, maaaa me da um dinheiro que eu digo que tu é bunito kkkkkk. Por grana fazemo qualquer coisa né zéluz...
Zéluz: Ma não é amor ! oia oia oia que coisa mas linda que ta passando!
Zelaz: Para de oia zeluz para para para... Tu que se um omi morto?
Zeluz: Tu não me ameaça muie, eu olho pra ondi eu quis é e vai procura comida pra eu come!
Zelaz: Eu não vou a lugar nunhum o Zelão ta procurandu pra nóis... Zelão, zelão zelão (entra Zelão)
Zelão: OOOOOOOia mãe, oooooooia pai o que eu achei é muito bunito...
Zélaz: Mas que boniteza eu vo fica tão bunita com ele...
Zeluz: Que nada muie, vamu vende praa pode come...
Zélaz: Não agora é meu
(Os dois começam  a discutir, até que Zelão pega o colar e sai correndo, os dois continuam a discutir até que entram duas mulheres e começam a revirar o lixo)
Cândida: Aquela empregada incompetente jogou meu colar no lixo, e me disseram que veio parar  aqui, que lugar nojento!
Aurora: você tem certeza de que quer continuar procurando aqui? O cheiro é horrível!
Cândida: Ma é claro que tenho, além de ser caríssimo é herança de família.
( continuam procurando , quando de repente entra Zelão usando o colar, elas enxergam e seguram a criança)
Zéluz: Larguem o meu fio agora...
Candida: Eu só quero o meu colar
Zelaz: Nada disso agora o colar é nosso.
Aurora; Mas isso é roubo...
Zéluz e Zelaz: Achado não é roubado quem perdeu é relaxado
Candida e Aurora: Pega ladrão
(Enquanto as mulheres gritam a familia corre em volta delas jogando o colar um para o outro, fazendo s duas de bobas. Entra uma policial)
Policial: O que está acontecendo aqui?
Candida: (chorando) Eles acharam o meu colar e não querem devolver...
Policial: achado não é roubado quem perdeu é relaxado!
Candida e Aurora: Nããããoooo!

Policial: E vocês vão ser presas por perturbação da ordem! Vamos!


Por Alessandra SOuza