sexta-feira, 16 de agosto de 2013

Ed Mort em Unicruz -8 de agosto de 2013

Motivando os Jovens.

                Nessa volta as aulas, mais de quatrocentas pessoas foram surpreendidas no ginásio da UNICRUZ com a divertidíssima apresentação de Ed Mort. Espetáculo do Máschara montado em 2008. No elenco os já conhecidos Dulce Jorge, Ricardo Fenner, Alessandra Souza e Renato Casagrande, entre outros, comandados por Cléber Lorenzoni no papel título. A comédia escrita por Luís Fernando Verissimo e adaptada por Maikel Teixeira faz uma paródia sobre os filmes de detetives, lembrando muito a antologica serie Agente 86.
                          Como segurar tantos alunos em uma noite fria? Como despertar neles o interesse por algo diferente, artístico e cultural? Dando a eles um bom espetáculo, de um grupo extremamente profissional e dedicado com um texto engrassadíssimo e perspicaz. O espetáculo já comentei aqui, é ótimo, no entanto o que marcou foi realmente ver tantos jovens envolvidos, o teatro tem esse poder, na era da "comunicação", quando paradoxalmente ninguém se comunica realmente, ele une as pessoas em uma sala, grande ou pequena, e consegue tocá-las, seduzí-las, afastá-las do mundo rápido e simplista da televisão atual, e longe da eletrizante sequência de informações digitais.
                              Cléber Lorenzoni tem um ritmo ágil,m uma capacidade de adaptar-se aos mais diversos públicos, cortar textos, improvisar, adaptar, tudo alí em questões de segundos. Renato Casagrande, metamorfozeia-se nesse espetáculo em três personagens, extremamente diferentes. Observar um espetáculo é algo muito complexo, afinal muitas são as informações semióticas que emanam dele. Em Ed Mort alguns atores estão soberbos, alguns estão razoáveis e uns poucos não executam bem seus papéis. No entanto a linha transversal da ação corre muito bem e a historia é bem contada. 
                              A direção é totalmente presente, nas musicas, nas marcações, na formalidade da ação. Fernanda Peres as vezes escorrega no ritmo e Alessandra Souza precisa de mais jogo em determinadas cenas. Ed Mort foi aplaudido em pé, o que nos mostra que o fenômeno teatral deve acontecer mais vezes na UNICRUZ.

Alunos de ESMATE durante o Sarau


Diego Pedroso e Evaldo Goulart, trabalhando a mente em ESMATE