sábado, 3 de junho de 2017

A chantagem - Cena curta - ESMATE



Pers 1- (ansioso, como se a espera de alguém) -Finalmente, disseram que querias falar comigo.
Pers 2- (fingindo surpresa) - Isto mesmo. Tomei conhecimento que sua excelência tem visitado a taverna...
Pers 1- (irritando-se) - Isso não é de sua conta, aliás nada que se passa em minha vida é de sua conta!
Pers 2- (sarcasmo) - Da minha, de certo que não, contudo, tenho certeza que sua senhoria adoraria saber o que o senhor faz a noite enquanto todos no palácio dormem...
Pers 1- (num crescendo) - Ora, agora estou entendendo, estás tentando me chantagear...
Pers 2- (Pretensiosa) - Entendas como quiser... O fato é que estou a passar por necessidades, e o senhor é um homem que não passa necessidades, a ver por suas roupas, sua carruagem... (tom) Tenho certeza que podes ser um pouco generoso, dividindo um pouco do que há em sua bolsa comigo...
Pers 1-(Irado) -Como ousas me chantagear. (debochando)Sua pretensão é muito maior do que eu imaginava, na verdade eu te subestimei...
Pers 2- Na verdade é bom ires se acostumando comigo... Pois sou uma pessoa muito atenta...
Pers 1- Escute aqui... (agarrando a outra pelo pescoço em um gesto rápido) Não vou te dar um único centavo, e mais...
Pers 2- (gemendo coisas incompreensíveis)
Pers 1- ...se tentares te intrometer novamente em minha vida, eu acabo contigo, e ninguém mais vai ouvir falar no seu nome, ninguém mais vai lembrar que em algum dia a sua carne pútrefa pisou na face da terra! (soltando a mulher) Passar bem...
Pers 2- (Em desespero contido) Ai meu Deus, que homem é esse? Que criatura demoníaca é essa?


                     Cléber Lorenzoni

Nenhum comentário:

Postar um comentário